Paternidade e comunicação: 5 dicas para ter uma comunicação aberta com seu filho

Abril 18, 2024

9 min read

Avatar photo
Author : United We Care
Paternidade e comunicação: 5 dicas para ter uma comunicação aberta com seu filho

Introdução

A comunicação com as crianças, especialmente os adolescentes, pode tornar-se um desafio para os pais e é essencial construir um ambiente onde as crianças e os pais possam expressar os seus sentimentos sem hesitação. A boa comunicação entre pais e filhos é caracterizada pela abertura e clareza, e os pais podem aprender como comunicar abertamente e construir laços mais fortes com os filhos.

Qual é a importância da comunicação na parentalidade?

O Modelo McMaster de Funcionamento Familiar, o modelo mais famoso de Terapia Familiar, identificou a comunicação como parte integrante de uma família ser funcional ou disfuncional [2]. De acordo com o modelo, se a comunicação for ineficaz, as mensagens não forem claras ou não houver um espaço para comunicar diretamente os sentimentos, a família será disfuncional. A comunicação também é fundamental para o desenvolvimento das crianças e seu ajustamento psicossocial [1]. Há evidências significativas de que quando a comunicação é boa, as crianças e os adolescentes: Qual é a importância da comunicação na parentalidade

  • Bem ajustado psicossocialmente
  • Têm menos problemas comportamentais
  • São menos propensos a ter problemas de saúde mental, como depressão e ansiedade
  • São menos propensos a se envolver em comportamentos de risco
  • Menos probabilidade de se envolver em automutilação [3]
  • Tenha melhor autoestima, raciocínio moral e desempenho acadêmico

Assim, quando os pais dominam a comunicação eficaz, é mais provável que os seus filhos se tornem indivíduos felizes e saudáveis. Além disso, a comunicação aberta e transparente provavelmente melhorará o bem-estar geral da família. Deve ler – pai narcisista

Quais são os benefícios da comunicação aberta na criação dos filhos?

Um ambiente de comunicação aberta é um espaço onde os pais demonstram maior aceitação dos pensamentos e opiniões de seus filhos, oferecem feedback avaliativo, ouvem ativamente e apoiam o ponto de vista da criança [4]. Construir um ambiente com comunicação aberta pode beneficiar o relacionamento entre pais e filhos. Esses incluem: What are the benefits of open communication in parenting

  1. Mais auto-revelação: Quando o ambiente incentiva a comunicação aberta, é mais provável que crianças e adolescentes se entreguem à auto-revelação [5]. Quando os pais se submetem em uma comunicação aberta, é mais provável que a criança retribua e fale abertamente.
  2. Conflitos ou mal-entendidos menores: Uma família com comunicação aberta priorizará ouvir uns aos outros e praticará essa habilidade regularmente. É provável que reduza os conflitos dentro da família. A pesquisa indica uma ligação oculta entre uma boa comunicação familiar e menos conflitos entre família e filhos [6].
  3. Ajude as crianças a descobrirem-se: especialmente para os adolescentes, descobrir-se e ter clareza sobre quem são é uma tarefa importante. Um espaço onde a comunicação é aberta e a criança pode compartilhar suas opiniões e pontos de vista ajuda a esclarecer o senso de identidade em desenvolvimento das crianças [4].
  4. Melhorar o relacionamento entre a criança e os pais: quando a comunicação é aberta, gasta-se um tempo considerável na compreensão da outra pessoa. Nas relações entre pais e filhos , descobriu-se que quando a comunicação é aberta e prática, as conexões são fortes e melhores [1] [7].

Muitas vezes há uma diferença significativa entre pais e filhos em termos de quantas vezes eles têm uma comunicação aberta e eficaz. Os pais muitas vezes acreditam que a comunicação é aberta enquanto os filhos têm outros pensamentos [1]. Portanto, é essencial continuar se autoavaliando e aprendendo habilidades de comunicação mais abertas. Saiba mais sobre- Relacionamento Aberto

Comunicação aberta e estabelecimento de limites

Outro componente essencial nas famílias é o dos limites [8]. Os limites podem estar em um continuum com limites rígidos em uma extremidade, e ninguém na família pode quebrá-los (por exemplo, ninguém pode falar com o pai depois que ele chega em casa). No outro extremo estão os limites difusos e não está claro quem faz o que (por exemplo, os filhos acalmam os pais e dizem-lhes o que precisam). No meio estão limites claros, que também são flexíveis [9]. Limites claros melhoram o funcionamento familiar. Quando os pais se comunicam abertamente entre si e com os filhos, eles podem definir expectativas claras de comportamento e limites claros. Uma vez definidos, as crianças podem negociar esses limites à medida que crescem ou conforme a situação exigir. Essa flexibilidade permite discussões abertas e honestas sobre diversas coisas, comportamento excepcionalmente aceitável. Leia mais sobre – Paternidade autoritária vs. Paternidade Permissiva

Dicas importantes para ter uma comunicação aberta com seus filhos na criação dos filhos

Configurar um espaço para comunicação aberta e eficaz é relativamente fácil. Usando as cinco dicas a seguir, os pais podem construir um ambiente familiar saudável e funcional [7]. Dicas para ter uma comunicação aberta com seus filhos na criação dos filhos

  1. Ouça: Muitas vezes, a própria escuta precisa ser revisada. Pode-se estar com pressa, cansado ou distraído enquanto ouve. Quando as crianças desejarem conversar, ouça com total atenção, remova distrações, mantenha contato visual e evite interromper a criança com suas dúvidas, percepções ou reações emocionais [7] [10].
  2. Mostre que você ouviu reconhecendo o sentimento: comunicar que você ouviu uma criança é uma ferramenta poderosa. Isso faz com que eles se sintam compreendidos. Assim que a criança terminar, você pode resumir e reafirmar ou até mesmo identificar o que ela está sentindo e dar um nome (por exemplo, você está com raiva do que aconteceu na escola). Para crianças mais novas, você também pode dar a elas o que elas desejam em uma fantasia (por exemplo, não seria legal se sua lição de casa se completasse magicamente) [7] [10]
  3. Expresse seus sentimentos honestos, mas no nível da criança: É igualmente essencial que os pais também expressem suas opiniões e sentimentos. Porém, é necessário entender que para fazer isso; os pais precisarão se comunicar com palavras e gestos, que a criança compreenderá. Os pais também podem chegar fisicamente ao nível da criança sentando-se para que possam ter contato visual [7].
  4. Aprenda a arte de fazer perguntas: Também é fundamental fazer perguntas para entender mais sobre o que a criança está dizendo ou sentindo. No entanto, os pais muitas vezes entram no modo de interrogatório fazendo múltiplas perguntas do tipo “sim-não”. Em vez disso, perguntas abertas que permitem à criança explicar detalhadamente e fornecer informações voluntárias são mais apropriadas [7].
  5. Evite comentários negativos, críticas e culpas: é fácil criticar as crianças e ameaçá-las durante conflitos, especialmente batalhas. Muitas vezes as pessoas esquecem de mostrar respeito e, em vez disso, trazem críticas e culpa. Em vez disso, as crianças podem ser autorizadas a resolver estas questões sozinhas. Os pais podem descrever o problema, pedir soluções e informar os filhos sobre seu comportamento [7].

A comunicação é uma habilidade que leva tempo para ser desenvolvida. Alguns livros, como ‘Como falar para que as crianças ouçam e ouvir para que as crianças falem’ [10], de Faber e Mazlish, podem ajudar os pais a melhorar suas habilidades de comunicação e formar relacionamentos melhores. Também é possível entrar em contato com nossos especialistas da United We Care para aprimorar essas habilidades e aprender como se comunicar abertamente com as crianças. Leitura obrigatória – Aconselhamento infantil para crianças e adolescentes

Conclusão

Ser pai pode ser difícil e a comunicação com os filhos pode ser desafiadora. No entanto, investir tempo na construção de uma comunicação aberta pode ajudar as crianças a construir relacionamentos mais fortes. Pode-se ter contato disponível com as crianças ouvindo-as, reconhecendo seus sentimentos, fazendo as perguntas certas e evitando comentários negativos.

Referências

  1. Z. Xiao, X. Li e B. Stanton, “Percepções da comunicação entre pais e adolescentes nas famílias: é uma questão de perspectiva ”, Psychology, Health & Medicine, vol. 16, não. 1, pp. 53–65, 2011.
  2. NB Epstein, DS Bishop e S. Levin, “ O modelo McMaster de funcionamento familiar”, Journal of Marital and Family Therapy, vol. 4, não. 4, pp. 19–31, 1978.
  3. AL Tulloch, L. Blizzard e Z. Pinkus, “ Comunicação entre pais e adolescentes em automutilação ”, Journal of Adolescent Health, vol. 21, não. 4, pp. 267–275, 1997.
  4. MP Van Dijk, S. Branje, L. Keijsers, ST Hawk, WW Hale e W. Meeus, “Clareza do autoconceito na adolescência: associações longitudinais com comunicação aberta com os pais e internalização de sintomas”, Journal of Youth and Adolescence, vol . 43, não. 11, pp.
  5. J. Kearney e K. Bussey, “A influência longitudinal da autoeficácia, comunicação e parentalidade na revelação espontânea do adolescente”,Journal of Research on Adolescência , vol. 25, não. 3, pp. 506–523, 2014.
  6. S. Jackson, J. Bijstra, L. Oostra e H. Bosma, “Percepções dos adolescentes sobre a comunicação com os pais em relação a aspectos específicos do relacionamento com os pais e do desenvolvimento pessoal”, Journal of Adolescence, vol. 21, não. 3, pp. 305–322, 1998.
  7. “Comunicação entre pais e filhos – centro para uma parentalidade eficaz.” [On-line]. Disponível aqui : [Acessado em: 28 de abril de 2023].
  8. C. Connelle, “ Perspectivas Multiculturais de Connelle – Universidade Rivier .” [On-line]. Disponível: [Acessado em: 28/04/2023].
  9. R. GREEN e P. WERNER, “Intrusividade e cuidado por proximidade: Repensando o conceito de ‘enredamento’ familiar’”, Family Process, vol. 35, não. 2, pp. 115–136, 1996.
  10. A. Faber e E. Mazlish, Como falar para que as crianças ouçam e ouçam para que as crianças falem. Nova York: Correntes Perenes, 2004 .

Unlock Exclusive Benefits with Subscription

  • Check icon
    Premium Resources
  • Check icon
    Thriving Community
  • Check icon
    Unlimited Access
  • Check icon
    Personalised Support
Avatar photo

Author : United We Care

Scroll to Top

United We Care Business Support

Thank you for your interest in connecting with United We Care, your partner in promoting mental health and well-being in the workplace.

“Corporations has seen a 20% increase in employee well-being and productivity since partnering with United We Care”

Your privacy is our priority